ia – IA Programa de Residência Artística 2022 - Conteúdos/IA

Conteúdos/IA


Nesta seção você encontrará os links para todas as lives transmitidas no nosso canal na plataforma YouTube, caso não tenha participado ao vivo ou deseje rever. Também postaremos todas as nossas correspondências pedagógicas para você baixar. Vamos atualizar constantemente nosso conteúdo com material informativo e educativo sobre arte envolvendo os agentes ativos do nosso programa.

Acesse nosso site constantemente para ter acesso aos nossos materiais e se programe para interagir conosco ao vivo durante as lives.

Correspondência Pedagógica N.12 #TEMPO

“Toda linha do horizonte é um ponto de vista”

Poderíamos iniciar dizendo que é TEMPO de despedida, mas antes temos um agradecimento superespecial para fazer! Queremos dizer que passamos por 4 programas de residência com 4 palavras geradoras e 6 pessoas artistas residentes em cada programa, ou seja, foram 24 artistas divididos em 12 duplas, as 12 edições destas Correspondências Pedagógicas, com o primoroso trabalho de edição de Pompea Tavares.

Esta é a 12ª e última edição das Correspondências Pedagógicas de 2022. A tentação é dizer que o dever está cumprido, porém sabemos que 2023 já se anuncia pleno de projetos e possibilidades.

Resgatar uma língua ancestral, infiltrar-se onde houver oportunidade: o caminho das águas. Tal qual os fluxos aquosos do tempo perscrutado por Abiniel João Nascimento e Charlene Bicalho, seguimos nossa mobilização pela construção da arte contemporânea em Ouro Preto e em todo o país – e por que não além das nossas fronteiras?

A língua d'água te espera!

correspondencia-pedagogica-12 Imagens 1 e 2: obras por Nita Monteiro
IMAGENS DE PROCESSO DO FILME "ALÉM. AQUÉM. AQUI."
BORDADOS E APLICAÇÕES DE RECORTES DE TECIDOS E TAPEÇARIA SOBRE TECIDOS.
Imagens 3 e 4: obras por Shima
SÉRIE "FLUXO EM DERIVA"
imagem 3: MORTE E VIDA
imagem 4: QUAL CAMINHO SEGUIR?

Correspondência Pedagógica N.11 #TEMPO

Cocção: o tempo das palavras

Seguindo a invenção cronológica de sequenciar as coisas, apresentamos a segunda edição das Correspondências Pedagógicas do último Programa de Residência Artística 2022 do IA, com a palavra TEMPO como difusora. Nesta edição, o polímata Shima nos convida a questionar o porquê de nos alimentarmos da forma como o fazemos, enquanto Nita Monteiro nos propõe olhar para os objetos cotidianos ao nosso redor para testar as tessituras das nossas memórias.

Que alimento você acha que leva o tempo desta leitura para cozinhar?

correspondencia-pedagogica-11 Imagens 1 e 2: obras por Nita Monteiro
TRABALHO EM PROCESSO, 2022.
BORDADOS E APLICAÇÕES DE RECORTES DE TECIDOS E TAPEÇARIA SOBRE TECIDOS.
Imagens 3 e 4: obras por Shima
SÉRIE “TEMPOS”, 2022.
PIGMENTO PERMANENTE SOBRE TECIDO DE ALGODÃO, DIMENSÕES VARIÁVEIS.

LIVE/IA Programa Educativo

“O que podemos aprender com as artes visuais sobre tempo?”

Quarta e última live do ano do Programa Educativo, voltado para pessoas que trabalham com educação. Esse programa realiza várias atividades ao longo do ano com caráter de formação, oferecendo também materiais e ferramentas que contribuem para a prática com os alunos. A palavra da vez é a mesma que foi o ímã da quarta edição do Programa de Residência Artística 2022, TEMPO, depois de termos passado pelos programas com as palavras EXTINÇÃO, OFÍCIO e CUIDADO; e as pessoas artistas desta residência são o membro do Coletivo de Arte Negra e Indígena (CARNI) e produtor cultural Abiniel Nascimento; Bruno Novaes, que tem obras que compõem o acervo do Museu da Diversidade Sexual de São Paulo; Charlene Bicalho, que trabalha com interven[ação]; a mulher, mãe, artista visual e podcaster Nita Monteiro; o polímata e descendente dos indígenas uchinanchus Shima; e Xikão Xikão, que se interessa pelas autoimagens.

Os desdobramentos desta residência estão na exposição “Paisagens impermanentes”, do quarto e último Programa de Residência Artística de 2022. Nessa mostra, fluxos atravessam paisagens por buracos e fendas, fluem, caem e recaem sobre territórios e memórias. Entre idas e vindas, barreiras, interrupções, caminhos livres, uma coisa é certa: o tempo não para.

Esta mostra completa a sequência iniciada com a live de ABERTURA do Programa Educativo; a live da primeira residência com a palavra EXTINÇÃO; a live da segunda residência com a palavra OFÍCIO; e a live da terceira residência com a palavra CUIDADO.

As mostras relativas às produções de cada uma dessas residências estão disponíveis para visitas na aba de conteúdos do site, bem como um material muito rico na forma de Correspondências Pedagógicas.


Correspondência Pedagógica N.10 #TEMPO

As virtualidades do tempo

O último Programa de Residência Artística 2022 é sobre o tempo. Enquanto humanidade, inventamos formas de dividi-lo, contá-lo, classificá-lo. Um bom exemplo são as próprias edições destas Correspondências Pedagógicas: esta é a primeira de três, então você já sabe o que esperar.

Nela, as conversas foram com Bruno Novaes, que se interessa pelas virtualidades do ser que teria saído dos trilhos, e Xikão Xikão, que pesquisa as autoimagens e as performances no ciberespaço. Em comum, a pergunta: o que nos faz estar aqui e agora?

O documento a seguir precisa da sua atualização (aquela que se opõe à virtualização). Podemos contar com você?

correspondencia-pedagogica-10 Imagens 1 e 2: obras por Bruno Novaes
AUTORRETRATO, 2022 | AQUARELA SOBRE PAPEL ALGODÃO, 56X36CM
COSTUMES Y DISFARCES, 2022 | AQUARELA SOBRE PAPEL ALGODÃO, 56X76CM
Imagens 3 e 4: obras por Xikão Xikão
EMOJIÇÃO, 2022 – EM PROCESSO | FOTOGRAFIA EM DIMENSÕES VARIADAS
RASCUNHOS DA OBRA ECO FAZ UM FEAT. COM NARCISO, 2020-2022

MOSTRA/IA Programa 04: #TEMPO

É o tempo um corpo que se percorre rio?

Dizem que o tempo é poeira, que corre e escorre feito rio ou água, que é fio, que flui em ritmos variados. Dizem por aí que se desdobra, mas que não pode ser dobrado. Será?

Nestas “Paisagens impermanentes”, mostra lançada na live “Conversas entrelaçadas” do dia 11 de novembro, as pessoas artistas residentes do quarto e último Programa de Residência Artística 2022 do IA – Instituto de Arte Contemporânea de Ouro Preto, arraigado da palavra #TEMPO, fazem um convite a percorrer rastros que levam à perda das noções do próprio tempo e de espaço para o encontro do que se esquece.

Em tempo, apresentamos nossas pessoas artistas: o membro do Coletivo de Arte Negra e Indígena (CARNI) e produtor cultural Abiniel João Nascimento, Bruno Novaes, que tem obras que compõem o acervo do Museu da Diversidade Sexual de São Paulo, Charlene Bicalho, que trabalha com interven[ação], a mulher, mãe, artista visual e podcaster Nita Monteiro, o polímata e descendente dos indígenas uchinanchus Shima e Xikão Xikão, que se interessa pelas autoimagens.

Antes, após, durante, através, por buracos de minhoca ou fendas submarinas, sugerimos um retorno, que é sempre uma visita inaugural, às mostras das residências anteriores:

Programa 01 #Extinção: "O que não pode ser nomeado não pode ser extinto"

Programa 02 #Ofício: "Canteiro Comum"

Programa 03 #Cuidado: “Parecia distraída, mas cuidava no que perseguia”

mostra-tempo Mostra digital “Paisagens impermanentes” por Abiniel João Nascimento, Bruno Novaes, Charlene Bicalho, Nita Monteiro, Shima e Xikão Xikão, o quarto grupo de residentes do Programa de Residência Artística do IA 2022.

Série Diálogos #TEMPO

Duplas do quarto e último Programa de Residência Artística 2022

A já tradicional Série Diálogos, que se configura como o resultado de exercícios de criação realizados em duplas de trabalho durante o programa de residência IA – Instituto de Arte Contemporânea de Ouro Preto –, encerra o ano de 2022 em sua quarta edição, tomando várias formas, como a dos grãos de areia de uma ampulheta que mede o TEMPO. Quem atua, manipula e flui na viagem da vez são as pessoas artistas que você pode conhecer aqui.

O objetivo dos encontros é tornar públicas algumas das discussões e ações artísticas decorrentes do programa, como parte das atividades artísticas e formativas da instituição, voltadas a artistas, professores, educadores e estudantes interessados em processos de criação em artes. A primeira edição girou em torno da palavra EXTINÇÃO, a segunda teve como mote a palavra OFÍCIO e a terceira se dedicou ao CUIDADO. Essas três séries geraram debates importantes que você pode conferir clicando em cada uma das palavras.

As lives contam com mediação e orientação curatorial de Tainá Azeredo e Valquíria Prates, com assistência de Pompea Tavares, e acontecem no canal do IA na plataforma YouTube.

residentes-programa-de-residencia-artistica-tempo Na imagens, as pessoas residentes do Programa de Residência Artística #TEMPO: Bruno Novaes, Xikão Xikão, Charlene Bicalho, Abiniel João Nascimento, Nita Monteiro e Shima.

LIVE/IA Programa 04: #TEMPO

Vamos comer PANC

Uma das urgências do tempo em que vivemos é repensar a Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional (SSAN). Nossa segunda artista convidada do quarto Programa de Residência Artística 2022 do IA tem uma proposta com as Plantas Alimentícias Não Convencionais (PANC). Ela é Renata Peixe-Boi, mulher indígena do povo Mura, natural de Manaus-AM. Pesquisadora sobre Plantas Alimentícias Não Convencionais (PANC), alimentação amazônica e Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional (SSAN), tem trabalhado em projetos relacionados a esses temas. Atualmente, além de trazer a divulgação científica e etnobotânica das PANC, discute nas suas performances os impactos da pandemia na alimentação das comunidades indígenas em contexto urbano. Saiba mais sobre Renata Peixe-Boi em seu perfil no Instagram e sobre o trabalho com a segurança alimentar no perfil @cozinhabocadamata.

Esta conversa conecta ainda mais as pessoas artistas selecionadas para a residência com os fluxos temporais, da mesma forma que a live anterior, com Raiz Raiça, que aconteceu no dia 10 de outubro.


LIVE/IA Programa 04: #TEMPO

Início, meio, enfim

Para conectar ainda mais as pessoas artistas residentes do quarto Programa de Residência Artística 2022 do IA #TEMPO, conversamos com a convidada Raiz Raiça e seu trabalho transdisciplinar, com ênfase na performance, no teatro e na poesia, em perspectivas artísticas que têm como princípio a integração entre arte, ritualidade, ecologia, agricultura, saúde e política..

Raiz Raiça é artista xamã, Filha da Lua em iniciação com a XamAm Alba Maria, mestra e doutoranda pelo Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas da UFBA. As práticas artísticas de Raiz ativam a compreensão de que a criação poética é parte do ciclo de reciprocidade que nos integra na dimensão comunal da vida e de que a arte é um ponto de encontro, um ponto de reunião, um ponto de aglutinação de muitos modos de vida – social, biológica e espiritual.

Conheça mais sobre ela em seu perfil no Instagram.


Correspondência Pedagógica N.09 #CUIDADO

Memória: rio que corre e recorre

Chegamos à última edição das Correspondências Pedagógicas relativas ao terceiro Programa de Residência Artística 2022, em torno da palavra CUIDADO, com este nono envio. Nela, as artistas Ana Paixão de Carvalho e Sylvia Vartuli discorrem e escorrem sobre suas memórias e fabulações, recortando leitos e colocando-os, lentos, sobre outras possibilidades de senti-los.

Antes de nos despedirmos, queremos lembrar que logo terá início o quarto Programa de Residência Artística 2022, com a palavra TEMPO. Teremos mais três edições das Correspondências Pedagógicas que chegarão até você quando o tempo for propício e logo mais ficarão por aqui enquanto durarem os bits. Aproveite para conhecer as pessoas artistas residentes!

Nos vemos pelas curvas das horas remendadas com retalhos fabulosos!

mostra-cuidado Imagens 1, 2 e 3 por Ana Paixão de Carvalho: MÃE D'ÁGUA (EM PROCESSO)
Imagens 3, 4 e 5 por Sylvia Vartuli: CORAGEM , 2022 COLAGEM HÍBRIDA E ENCÁUSTICA;
BROTAR DE NOVO, 2022 COLAGEM HÍBRIDA E ENCÁUSTICA;
ELAS EM MIM, 2022 COLAGEM HÍBRIDA E ENCÁUSTICA.

LIVE/IA Programa Educativo

“O que podemos aprender com as artes visuais sobre cuidado?”

O título acima é o tema desta discussão mediada pelas curadoras Tainá Azeredo e Valquíria Prates com assistência de Pompea Tavares. Nela, são abordados os processos de investigação e criação e as produções das pessoas participantes da terceira residência de 2022 Ana Paixão de Carvalho, Lygia Peçanha, Pedro Ton, Sylvia Vartuli, Yanake Herrera e Yná Kabe Rodríguez, gerados a partir da palavra CUIDADO. Aproveite para saber mais sobre as interações possíveis entre arte contemporânea e a BNCC de artes visuais.

Queremos aproveitar a oportunidade para convidar você a visitar a exposição “Parecia distraída, mas cuidava no que perseguia”, do terceiro Programa de Residência Artística de 2022. E também a revisitar as edições anteriores das lives do Programa Educativo EXTINÇÃO e OFÍCIO.

É comum que nos desejem “Cuidado para não se perder”, mas aqui queremos mudar um pouco essa narrativa: cuidado para perder-se, caminhos outros te aguardam!


Correspondência Pedagógica N.08 #CUIDADO

Corpos deslocados

Dizem por aí que o universo está em constante expansão. E que, a nível molecular, tudo se move o tempo todo. Nosso residente Pedro Ton, ao se ver confinado em casa durante a pandemia, começou a perceber modos distintos de olhar para as relações entre objetos cotidianos e seu corpo. Já Yanaki Herrera carrega consigo a experiência da mulher imigrante e da mulher mãe. Essas desarticulações se reconfiguram em suas obras e os resultados começam a se apresentar em nossa oitava edição das Correspondências Pedagógicas, um dos braços do material educativo periódico do IA, desdobrado a partir da terceira edição do Programa de Residência Artística 2022, que orbita em torno da palavra CUIDADO.

CORRESPONDECIA-PEDAGOGICA-N08 Imagens 1 e 2 por Pedro Ton: BUNKER: RESISTIR A PROJÉTEIS DE GUERRA, 2021. Acrílica sem tela, 60x50cm
CONEXÃO JUNGLE, 2022. Acrílica sem tela, 60x90cm.
Imagens 3 e 4 por Yanaki Herrera: LAR - SÉRIE FORA DO LAR, 2020. Acrílica sobre canson.
Estudos sobre CASA-CORPO

MOSTRA/IA Programa 03: #CUIDADO

atenção para distrair-se: obras em processos!

Dizem por aí que palavra puxa palavra. Nossas pessoas residentes do terceiro Programa de Residência Artística 2022 #CUIDADO do IA - Instituto de Arte Contemporânea de Ouro Preto puxaram o dicionário que puxou atenção que puxou delicadeza que puxou sublime que puxou solicitude e nessa espécie de quadrilha o amor se fez onipresente. Foram muitos os caminhos, variadas as sendas, espinhosas e secas e frondosas e úmidas as veredas até nos perdermos e nos encontrarmos e nos desencontrarmos cuidadosas e distraídas na mostra “Parecia distraída, mas cuidava no que perseguia”, que foi lançada na live "Conversas Entrelaçadas" do dia 20 de setembro no canal do YouTube do IA e agora está com os processos abertos.

Eis aqui um mimo/resumo: o cuidado atravessa águas, troncos, fruta na boca, sonho, memória das coisas, carta ao filho e costura de um território próprio na prática de Ana Paixão de Carvalho; já nos processos instaurados por Lygia Peçanha e suas tentativas de nomear e dar sentido aos mistérios invisíveis das relações, o amor atravessa tudo; Pedro Ton constrói uma paisagem sentimental em suas pinturas que vela e revela significados simbólicos de objetos de seu cotidiano em relação com seu corpo; Sylvia Vartulli, por sua vez, recupera fragmentos de memórias esquecidas para investigar percepções sobre o que é o cuidado e o descuido; Yanaki Herrera torna sua produção um território de investigações profundas sobre o femininio, suas forças e abismos; e Yná Kabe Rodríguez movimenta relações e estruturas institucionais como estratégia de sobrevivência, entre o prazer e o enfrentamento como táticas para manutenção da vida.

mostra-cuidado Captura de tela da mostra digital “Parecia distraída, mas cuidava no que perseguia”, por Ana Paixão de Carvalho, Lygia Peçanha, Pedro Ton, Sylvia Vartulli, Yanaki Herrera e Yná Kabe Rodríguez

Correspondência Pedagógica N.07 #CUIDADO

Cuidado que afeta!

Ao redor do termo “cuidado”, há todo um campo semântico relacionado ao potencial construtivo do zelo. Mas estamos em um país que não cumpre sua responsabilidade para com algumas identidades, como a das travestis. Do piegas às formas de afeto que deslocam sentidos, apresentamos a sétima edição das Correspondências Pedagógicas, a primeira do Programa de Residência Artística com a palavra CUIDADO. Esta publicação faz parte do material educativo periódico do IA e nos coloca em contato com Lygia Peçanha, com seu trabalho sobre os lugares do afeto e o que (des)conhecemos do amor, e com Yná Kabe Rodríguez, travesti artista-curadora-pesquisadora que mescla a política das onças-pintadas com a das identidades travestis.

E aí, vai se deixar afetar?

CORRESPONDECIA-PEDAGOGICA-N.07-03 Imagens 1 e 2: Leitura de Cartas Dramáticas - Intervenção performática participativa. (ESTÚDIO GUACO (BH/MG) – 2018 e FESTIVAL LITERÁRIO INTERNACIONAL (FLI-BH) – 2019) por Lygia Peçanha
Imagem 3: Eu fiz de coração Foto-performance por Lygia Peçanha
Imagens 4,5 e 6: Informatie Onça (2019) por Yná Kabe Rodríguez

LIVE/IA Programa 03: #CUIDADO

Artista Convidado Pazé

O premiado artista visual Pazé se juntou a nós para a segunda live com convidados do Programa de Residência Artística em torno da palavra CUIDADO.

A primeira foi com o artista Raphael Escobar e pode ser vista ou revista aqui.

Pazé é um premiado artista visual, graduado em artes visuais pela Fundação Armando Álvares Penteado (1999) e engenheiro agrônomo graduado pela Universidade de São Paulo - ESALQ-USP (1984). Em seu trabalho, destaca-se a relação entre arte, cidade e meio ambiente. Realizou mais de 70 exposições individuais e coletivas em museus e galerias, incluindo mostras na Pinacoteca do Estado, Paço das Artes, Galeria Casa Triângulo, Museu de Arte Moderna de São Paulo, Bienal de Havana, Bienal do Mercosul, entre outras. Um dos destaques de sua obra foi a série “Transeunte” (2001-2006), em que o artista criou uma obra de arte pública que consistiu em instalar um boneco – réplica do seu corpo –, em locais de grande movimento na capital paulista, como calçadas, terraços, paredes e telhados de edificações. Dentre os prêmios que ganhou, o mais recente foi o World Summit Awards Brasil – Categoria Assentamentos Inteligentes e Urbanização (2022).

Para conhecer mais sobre o trabalho dele, acesse o site do artista. É possível também acompanhá-lo em seu perfil no Instagram: @paze.paze.

LIVE-CONVIDADO-CUIDADO-PAZE Imagem 01: Pazé
Imagens 02 e 03: conjuntos de Mandacarus plantados ao lado do Auditório Ibirapuera.
Imagens 04 e 05: circuito integrado colorido instalado em um hospital.

Série Diálogos #CUIDADO

Duplas do terceiro Programa de Residência Artística 2022

Nesta terceira edição da Série Diálogos, nossas interações terão como fio condutor a palavra CUIDADO. Esta é uma série de lives que se configura como o resultado de exercícios de criação realizados em duplas de trabalho durante o programa de residência IA – Instituto de Arte Contemporânea de Ouro Preto. Conheça melhor as pessoas artistas participantes desta segunda edição que compõem estas duplas aqui.

O objetivo dos encontros é tornar públicas algumas das discussões e ações artísticas decorrentes do programa, como parte das atividades artísticas e formativas da instituição, voltadas a artistas, professores, educadores e estudantes interessados em processos de criação em artes. A primeira edição girou em torno da palavra EXTINÇÃO e a segunda teve como mote a palavra OFÍCIO. Ambas as séries trouxeram várias questões à tona e você pode conferir tudo aqui (primeira) e aqui (segunda).

As lives contam com mediação e orientação curatorial de Tainá Azeredo e Valquíria Prates, com assistência de Pompea Tavares, e acontecem no canal do IA na plataforma YouTube.

serie-dialogos-cuidado.png Imagens 01 e 02: Lygia Peçanha e Yná Kabe Rodríguez
Imagens 03 e 04: Pedro Ton e Yanaki Herrera
Imagens 05 e 06: Ana Paixão de Carvalho e Sylvia Vartuli

LIVE/IA Programa 03: #CUIDADO

Artista Convidado Raphael Escobar

O indicado ao Prêmio Pipa Raphael Escobar é o convidado número 1 da série de lives do Programa de Residência Artística 2022 com a palavra CUIDADO. Raphael Escobar é artista visual e educador de rua. Atua em contextos de vulnerabilidade social ou de disputas políticas, como na Fundação CASA, na Cracolândia e em albergues. Sua pesquisa lida com as relações de classe, pretendendo dissolver uma lógica moral da sociedade em relação aos moradores de rua, usuários de drogas e grupos periféricos. Já participou de exposições como o 36º Panorama da Arte Brasileira (Museu de Arte Moderna de São Paulo, 2019), Quem não luta tá morto (Museu de Arte do Rio, 2018) e São Paulo não é uma cidade: invenções do centro (SESC 24 de Maio).

Você também pode conhecer mais sobre Raphael Escobar acessando o site do artista ou seu perfil no Instagram.

Se você perdeu ou deseja rever alguma live com convidados anterior, seguem os links:
Programa 01 #EXTINÇÃO: Com Frederico Filippi e com Christine Greiner
Programa 02 #OFÍCIO: Com Vânia Medeiros e com Marilia Loureiro

conteudo-live-raphael-escobar Imagem 01: Raphael Escobar. Foto por João Leoci.
Imagem 02, 03 e 04: parte da série Direito, 2020. Faixas instaladas em local público.
Direito à Loucura. Direito à Inadimplência. Direito à Preguiça

LIVE/IA Programa Educativo

O que podemos aprender com as artes visuais sobre ofício?

“O que podemos aprender com as artes visuais sobre ofício?” é o tema desta discussão mediada pelas curadoras Tainá Azeredo e Valquíria Prates com assistência de Pompea Tavares. Nela, são abordados os processos de investigação e criação e as produções de participantes da segunda residência de 2022: Ana Fátima Carvalho, Bárbara Bija, Beatriz Toledo, Felipe Rezende, Josi e Washington da Selva, gerados a partir da palavra OFÍCIO. Aproveite para saber mais sobre as interações possíveis entre arte contemporânea e a BNCC de artes visuais.

Além disso, esta é uma boa oportunidade para visitar a exposição Canteiro Comum, do segundo Programa de Residência Artística de 2022, concluído no primeiro semestre. Não deixe de conferir também as nossas Correspondências Pedagógicas n. 4, n. 5 e n. 6.

Para emular um pouco uma linguagem jurídica em termos de “ofício”, esteja convocado(a).


Correspondência Pedagógica N.06 #OFÍCIO

Mãos transformadoras

Após seis semanas de trabalho, chegamos ao fim da residência OFÍCIO. Mas não sem antes publicar nossa sexta edição da Correspondência Pedagógica e avisar que em breve teremos mais duas residências, uma com a palavra TEMPO e outra com a palavra CUIDADO.

Nesta edição, conversamos com Ana Fátima Carvalho (a Fatinha da FAOP) e Beatriz Toledo. De tesoura ou goiva na mão, as duas artistas têm em comum a habilidade da conversa transformadora enquanto praticam seu ofício. Seja no interior, seja no exterior, quem se entrega ao encontro com uma delas sai diferente!

Vamos?

fatinha+faca Imagem 1 e 2: Namoradeira, Xilogravura e Matriz de Xilogravura por Ana Fátima Carvalho. Imagens 3 e 4: Ação na ocupação Nove de Julho por Beatriz Toledo. Registros por Edouard Fraipont

MOSTRA/IA Programa 02: #OFÍCIO

Outras conversas entrelaçadas, agora sobre a mostra Canteiro Comum

Pedra papel tesoura. Trabalha, trabalha, não dorme no ponto. Semente, linha, terra, tecido, cama de gato. Pausa para almoçar. Sol do meio-dia, fantasma, escuta, sonho, proteção, caminho, corpo. Descanso. Casa de ferreiro, espeto de pau, nesse canteiro se planta semente e se colhe ficção.

Nas últimas seis semanas, as mãos das pessoas artistas residentes Ana Fátima Carvalho, Bárbara Bija, Beatriz Toledo, Felipe Rezende, Josi e Washington da Selva trabalharam este canteiro tendo como ponto de partida para as pesquisas os diversos sentidos da palavra OFÍCIO, e o resultado pode ser apreciado na mostra Canteiro Comum. O lançamento aconteceu durante uma conversa entrelaçada em formato de live, que pode ser conferida a seguir.

Pegue sua pá, seu arado, ache uma sombra para armar a rede e vamos juntos. A safra vai ficar melhor com sua presença!

mostra_canteiro_comum_Prancheta Mostra digital "Canteiro Comum" por Ana Fátima Carvalho, Bárbara Bija, Beatriz Toledo, Felipe Rezende, Josi e Washington da Selva.

LIVE/IA Programa 02: #OFÍCIO

Artista Convidada Marilia Loureiro

Ao receber a palavra norteadora OFÍCIO, Marilia devolveu a palavra OSSOS com a proposta de explorar os "ossos do ofício" da curadoria, não tanto no sentido das tarefas árduas impostas pela profissão, mas principalmente como estruturas internas do campo curatorial que podem ser rearticuladas. Assista aos desdobramentos desse desafio na live que aconteceu no dia 6 de junho no canal do YouTube do IA.


Correspondência Pedagógica N.05 #OFÍCIO

Ofícios: transmissão e reversão

Chegamos à quinta edição das nossas Correspondências Pedagógicas, a partir do segundo Programa de Residência Artística 2022, em torno da palavra OFÍCIO. Nela, conversamos com Bárbara Bija e seu trabalho enquanto professora-artista e artista-professora. O que é possível transmitir e construir nesse ofício? Também dialogamos com Josi e sua pesquisa pelas tintas naturais. Ela reflete sobre (ou refrata) o ofício de sua avó, de lavadeira, para pensar sobre o quarar e o embranquecimento, propondo uma reversão.

Venha transitar conosco por esses ofícios e traga sua percepção sobre esses locais de intimidade e publicização.

BARBARA+JOSI_CORRESPONDENCIA_PED_N05-03 Imagens 1 e 2: PROCESSO ITATIAIA GERAIS, 2021, por BÁRBARA BIJA, Imagens 3 e 4: DECANTAÇÕES, FERVURAS E TEMPERAMENTOS, 2022, por JOSI.

Série Diálogos #OFÍCIO

Duplas do Segundo Programa de Residência Artística 2022

Tomando como ponto de partida a palavra OFÍCIO, apresentamos a segunda edição da Série Diálogos, que é o resultado de exercícios de criação realizados em duplas de trabalho durante o programa de residência IA - Instituto de Arte Contemporânea de Ouro Preto. Conheça melhor as pessoas artistas participantes desta segunda edição que compõem estas duplas aqui.

O objetivo dos encontros é tornar públicas algumas das discussões e ações artísticas decorrentes do programa, como parte das atividades artísticas e formativas da instituição, voltadas a artistas, professores, educadores e estudantes interessados em processos de criação em artes. A primeira edição trouxe várias questões à tona e você pode conferir tudo aqui.

As lives contam com mediação e orientação curatorial de Tainá Azeredo e Valquíria Prates, com assistência de Pompea Tavares, e acontecem no canal do IA na plataforma YouTube.

ARTISTAS_PROGRAMA02_OFICIO Na imagem, as pessoas residentes do segundo programa #Ofício: Josi, Washington da Selva, Bárbara Bija, Beatriz Toledo, Ana Fátima Carvalho e Felipe Rezende

LIVE/IA Programa 02: #OFÍCIO

Artista Convidada Vânia Medeiros

Movendo-se sempre do uno ao coletivo, Vânia Medeiros vivencia a arte enquanto labor constante, na busca por instituir espaços de investigação de territórios expressivos que não estão dados previamente. Seus processos pedem engajamento e compromisso e se apresentam acompanhados de muito desejo e certa resiliência. Eis a forma como seu trabalho se relaciona com a palavra OFÍCIO.

Contamos com a partilha do seu desejo para juntos encontrarmos territórios de expressão não dados.


Correspondência Pedagógica N.04 #OFÍCIO

Novos caminhos no horizonte

Nesta primeira edição da Correspondência Pedagógica com a palavra geradora OFÍCIO, a quarta do Programa de Residência Artística 2022 do IA, apresentamos Washingnton da Selva e Felipe Rezende.

Washington carrega consigo os saberes compartilhados em sua criação em um ambiente de trabalho rural e familiar. Felipe observa e usufrui do cotidiano dos trabalhadores da construção civil, suas habilidades, hábitos e rotinas. Ambos refletem poeticamente sobre a condição do trabalho na contemporaneidade e os efeitos sobre o corpo do trabalhador.

Seguimos oficiando nossas correspondências com o desejo de que nosso trabalho tenha efeitos positivos sobre os corpos de quem nos recebe.

Washington_da_Selva_e_Felipe_Rezende Imagens 1, 2 e 3 por WASHINGTON DA SELVA. Imagens 4, 5 e 6 por FELIPE REZENDE.

Correspondência Pedagógica N.03 #EXTINÇÃO

O terceiro trajeto desponta com voz própria e insubmissa

Nesta terceira edição, apresentamos Suttane Hoffmann e Walla Capelobo, artistas residentes do primeiro Programa de Residência Artística #EXTINÇÃO.

Suttane encontra na busca pela sua própria voz novas formas de estar no mundo, sua coragem. Walla, através de uma relação íntima com os seres naturais, revela a sua condição de vivente, não submissa às dominações.

Vem se relacionar com a gente com esses seres naturais, viventes, insubmissos, com voz própria e que inauguram formas diversas de estar no mundo.

CAPA_CORRENPONDENCIA_PEGAGOGICA_N03 Imagem 01 por SUTTANE HOFFMANN. Imagens 02 e 03 por WALLA CAPELOBO.

LIVE/IA Programa Educativo

O que podemos aprender com as artes visuais sobre a extinção?

Venha mergulhar no mundo artístico, e refletir sobre o que podemos aprender com as artes visuais sobre a EXTINÇÃO.

Tainá Azeredo e Valquíria Prates, com a assistência de Pompea Tavares partilham os frutos dos processos de investigação, criação e as produções das pessoas artistas residentes do primeiro Programa de Residência Artística do IA. A convocação é para pessoas ligadas à educação, que desejam ampliar os saberes e perspectivas sobre as artes nos ambientes de educação.


Mostra/IA Programa 01: #EXTINÇÃO

Conversas entrelaçadas sobre a mostra "O que não pode ser nomeado não pode ser extinto"

Os artistas residentes Adriano Machado, Duo Paisagens Móveis (Bárbara Lissa e Maria Vaz), Jorge Lopes, Suttane Hoffmann, Tiago Aguiar e Walla Capelobo abrem seus ateliês virtuais e compartilham seus processos criativos, pesquisas e provocações a partir da palavra geradora EXTINÇÃO. O resultado pode ser apreciado na mostra "O que não pode ser nomeado não pode ser extinto".

CONVERSAS_ENTRELACADAS Imagem 01 por SUTTANE HOFFMANN. Imagem 02 por WALLA CAPELOBO. Imagem 03 por JORGE LOPES. Imagem 04 por DUO PAISAGENS MÓVEIS.

Correspondência Pedagógica N.02 #EXTINÇÃO

Passos primeiros de uma jornada outra

Nesta segunda edição, apresentamos o duo Paisagens Móveis, formado por Bárbara Lissa e Maria Vaz, e Jorge Lopes. O duo Paisagens Móveis, por um lado, busca trazer à luz uma série de desaparecimentos de paisagens e sujeitos, enquanto Jorge, por outro, compartilha no seu pensamento-dança gestos carregados de lembranças de um corpo-pele que insiste em existir.

Vem com a gente refletir sobre de que forma o esquecimento e o silenciamento podem nos levar a inúmeras extinções, ao passo que gestos podem marcar a insistência em existir.

IA_CORRESPONDENCIA_PEDAGOGICA_NO2 Imagem 01: POR JORGE LOPES, PERFORMANCE O FALECIMENTO DA ESCUTA, 2017. Imagens 02 e 03: POR DUO PAISAGENS MÓVEIS, QUANDO O TEMPO DURA UMA TONELADA, 2021

LIVE/IA Programa 01: #EXTINÇÃO

Professora Convidada Christine Greiner

Com vasta e sólida experiência docente e curatorial, desde 2010 Christine Greiner vem estudando as políticas para a morte e a relação entre corpo e extinção. O desafio é reverter os estados de extrema vulnerabilidade em processos de criação a partir de fabulações.


LIVE/IA Programa 01: #EXTINÇÃO

Série Diálogos

A Série Diálogos é o resultado de exercícios de criação realizados em duplas de trabalho durante o programa de residência IA – Instituto de Arte Contemporânea de Ouro Preto. O objetivo dos encontros é tornar públicas algumas das discussões e ações artísticas decorrentes do programa, como parte das atividades artísticas e formativas da instituição, voltadas a artistas, professores, educadores e estudantes interessados em processos de criação em artes. Com mediação e orientação curatorial de Tainá Azeredo e Valquíria Prates, apresentamos três lives no canal do IA na plataforma YouTube. As propostas artísticas que investigam sentidos em torno da palavra EXTINÇÃO são apresentadas em duplas.

IA_LIVE_DIALOGOS Jorge Lopes, Suttane Hoffmann, Adriano Machado, Walla Capelobo, Tiago Aguiar, Bárbara Lissa e Maria Vaz.

Correspondência Pedagógica N.01 #EXTINÇÃO

O começo do percurso

Nesta primeira edição, apresentamos Adriano Machado e Tiago Aguiar. Ambos perseguem histórias, vozes e silêncios, corpos e presenças, que, ficcionalizadas ou documentadas, compõem novas afirmações no tempo presente, as quais resistem.

Adriano Machado é artista visual e trabalha com as linguagens da fotografia, do vídeo e dos objetos. Tiago Aguiar é fotógrafo, artista e trabalhador imigrante da construção civil.

Vem com a gente refletir sobre a extinção, que pode ser, curiosamente, um convite a pensar seus opostos, como a permanência ou a continuidade.

CAPA_CORRESPONDENCIA_PEDAGOGICA_N01 Imagens 01 e 02: POR ADRIANO MACHADO SÉRIE COBRA VERDE, 2013. Imagens 03 e 04: POR TIAGO AGUIAR, SÉRIE DU RUSÁ, 2016/2017.

LIVE/IA Programa 01: #EXTINÇÃO

Artista Convidado Frederico Filippi

Frederico Filippi, artista visual premiado que conta com diversas exposições individuais e coletivas nacionais e internacionais, é nosso convidado para refletir sobre a palavra EXTINÇÃO em relação às suas pesquisas e atuação em território amazônico. Segundo ele, “existe uma linha de avanço da extinção e ela pode ser visível por variadas técnicas e pontos de vista. O que me interessa é o seu contorno.”

Vem se imbricar nos fios dessa linha com a gente!


LIVE/IA Programa Educativo

Abertura: Conviver com a arte nas escolas

Ministrado pelas curadoras do Programa de Residência Artística 2022 Pompea Tavares, Tainá Azeredo e Valquíria Prates, este vídeo faz uma apresentação geral do Programa Educativo 2022. Neste curso de formação de professores, será ofertado acesso a recursos, ferramentas e uma programação completa para pensar e fomentar a arte nos ensinos básico, fundamental e médio, aliando princípios pedagógicos e multidisciplinares a questões referentes à arte contemporânea.

Vem com a gente!

O Projeto é idealizado pelo IA - Instituto de Arte Contemporânea de Ouro Preto, realizado pela Secretaria Especial da Cultura e pelo Ministério do Turismo, conta com recursos da Lei Federal de Incentivo à Cultura e patrocínio da Gerdau.